Páginas

Seja Bem Vindo!

"A finalidade da arte é dar corpo à essência secreta das coisas, não é copiar sua aparência. (Aristóteles)






sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Invadindo a Praça chega à nona edição

Velhinha Maluquete contando histórias na 6ª edição do Projeto



A nona e penúltima edição deste ano do projeto Invadindo a Praça, do Grupo de Teatro Wankabuki acontece no dia 26, às 19 horas na Praça do 5º BEC, que fica no bairro com o mesmo nome, em Vilhena. As apresentações são voltadas para crianças e adultos com espetáculos de palhaçaria, performances e muita diversão.

O projeto, que já passou por todos os setores de Vilhena, é coordenado pela Associação de Teatro e Educação Wankabuki, tem patrocínio do Banco da Amazônia e apoio do Ponto de Cultura Cone Sul Plural.
A última edição do Invadindo a Praça será em dezembro. 

A partir do ano que vem, o Wankabuki pretende levar o projeto a outras cidades de Rondônia e Mato Grosso.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Estreia José e Cia


Atores suspensos no ar, presos por correntes ou por alguma deficiência: "Provisoriamente  não cantaremos o amor" é com este verso de Carlos Drummond que é realizada a primeira cena do espetáculo José e Cia. O novo espetáculo do Grupo de Teatro Wankabuki é uma adaptação organizada por Valdete Sousa com textos de diversos escritores. Em cena cinco atores: Dennis Weber, Isabela Tabalipa, Núbia Rodrigues, Ruth Barbosa e Valdete Sousa, sob a direção de Valdete Sousa, com iluminação e sonoplastia de Rafael Nunes, Operador de mídia Maycon Estefano e fotografia de Herbert Weil..

A peça é mais uma forma de experimentação, uma proposta para trabalhar os atores e o público que poderá sentir-se confrontado pelas personagens que trazem em sua essência uma grande carga de ironia, ao falar do homem, suas dores e seus medos. Rasgar a alma humana e virá-la pelo avesso, sem perder o tom graça e da sensualidade. O texto foi tecido com versos de Drummond, Chico Buarque, Torquato Neto, Adélia Prado, Pablo Neruda, José Régio e outros poetas de maneia a criar um diálogo entre os poemas, o público e os atores.

"José e Cia é um espetáculo para apreciadores das artes, para quem gosta de ir ao teatro e depois ficar discutindo as cenas, para quem gosta de poesia, de música, de pintura, e também para quem não gosta de nada disso e não tem pretensão alguma de entender essas coisas complicadas das artes(risos)" diz Núbia Rodrigues, atriz do Wankabuki.

Os ingressos estão a venda com os atores do grupo ou pelo telefone 8446-6408, são apenas 60 lugares, os primeiros a comprar ganham uma camiseta do grupo de teatro Wankabuki.


Evento
José e Cia

Data
10 de novembro de 2011

Hora
20h30min

Local
Espaço Cultural JK

Classificação 
16 anos

Ingresso
R$ 10,00(inteira) Estudante para meia 
Ingressos antecipados pelo Telefone 8446-6408 ou com os atores do grupo.
Ingressos limitados


Obrigado por visitar a página!

O grupo de Teatro Wankabuki surgiu na Universidade Federal de Rondônia, em agosto de 2003, começaram as reuniões aos sábados no auditório da Unir.O primeiro espetáculo montado pelo grupo foi Morte e Vida Severina uma adaptação do texto de João Cabral de Melo e Neto, feita por Luiz Antônio de Araújo.Em seguida, o grupo montou A Lenda da Ecologia texto do Prof. Oswaldo Gomes que estreou em 20 de julho de 2005. A peça participou do Festival de Teatro Coração de Rondônia, no município de Ji-paraná em agosto desse ano.Em 2006 são montados mais dois espetáculos: Vai, Carlos! Ser Gauche na vida que estréia em 07 de abril e Tragédia no lar apresentado pela primeira vez na escola Wilson Camargo para os alunos do período noturno. Os dois espetáculos são adaptações das poesias, respectivamente, de Carlos Drummond de Andrade e Castro Alves. Em 2009, estreia Perdidos na Floresta texto de Antero de Sales e o grupo inicia os trabalhos para se institucionalizar, em janeiro de 2010, o grupo de Teatro Wankabuki consegue seu registro, com a Razão social de ATEW - Associação de Teatro e Educação Wankabuki.







Quem sou eu

Minha foto
Lacunas que a vida não completa, são como obras esperando ser escritas, preenchidas...