Páginas

Seja Bem Vindo!

"A finalidade da arte é dar corpo à essência secreta das coisas, não é copiar sua aparência. (Aristóteles)






terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

O Imaginário refaz a trilha de Rondon

Atores de O Imaginário em Memórias da Guerra     Foto: arquivo do grupo
Grupo de teatro O Imaginário refaz a trilha de Rondon levando apresentações e oficinas



De 13 de fevereiro a 03 de março, o grupo O Imaginário vai percorrer as cidades ao longo da BR 364, de Porto Velho (RO) a Chapados Guimarães (MT), com apresentações de espetáculos, vivências, oficinas, trocas e convivências com o público, artistas e grupos de teatro de Rondônia e Mato Grosso.

Fazendo o caminho inverso que Marechal Cândido Rondon fez, no início do século XX, ao desbravar o oeste do país instalando milhares de quilômetros de linhas telegráficas, mapeando os terrenos e estabelecendo relações cordiais com os índios, O Imaginário parte de Porto Velho numa jornada de 18 dias rumo à Chapada dos Guimarães. Além das apresentações e oficinas, o grupo pretende estabelecer com o público e os grupos locais um diálogo sobre as artes públicas de rua e a cena contemporânea na Amazônia.

Essa não é a primeira vez que o grupo parte numa caravana teatral: em 2010, no projeto Banzeirando, as estradas foram as águas dos rios Madeira e Amazonas, numa jornada de 30 dias de Porto Velho a Manaus, com espetáculos, oficinas e vivências, partilhados com a população ribeirinha de cada localidade onde atracavam. Em 2007, o tema "trilhas de Rondon" surgiu para o grupo pela primeira vez através da realização de uma caravana que levou o espetáculo O Mistério do Fundo do Pote Ou de Como Nasceu a Fome a cidades do Acre, Rondônia e Mato Grosso.

A caravana teatral “Nas trilhas de Rondon - 100 Anos de História” será realizada em uma única etapa, que terá início dia 13 de fevereiro na cidade de Porto Velho, com duas apresentações da peça A Ferrovia dos Invisíveis - Narrativas do Outro Lado. Logo depois, a viagem se inicia rumo ao interior de Rondônia, passando por Candeias do Jamari, Itapuã do Oeste, Ariquemes, Jaru, Ouro Preto do Oeste, Ji-Paraná, Presidente Médici, Cacoal, Pimenta Bueno e Vilhena. Seguindo pela BR 364, as próximas paradas são Comodoro, Pontes e Lacerda, Porto Esperidião, Cáceres e Cuiabá, finalizando na Chapada dos Guimarães.

Serão 17 cidades, mais de 3 mil quilômetros percorridos e 2 Capitais, para um público estimado de 7 mil espectadores, levando o teatro a praças, quadras de escolas e centros culturais. Este projeto foi aprovado pelo Edital Funarte Myriam Muniz de Fomento ao Teatro de 2012.

Os espetáculos apresentados fazem parte do repertório do grupo: Memórias de Guerra, uma intervenção urbana apresentada no VII FESTCAL em São Paulo, e Psiu, O Quarteto Tá Chegando!, sua mais recente criação e estreia do grupo nas artes circences e de palhaçaria. Em Vilhena esses espetáculos serão apresentados dia 24 de fevereiro, às 20h, na Praça Padre Ângelo Espadari e no dia seguinte(25 de fevereiro) o grupo estará em Comodoro às 16h e 20h na Praça Central.


Fonte: O Imaginário


Obrigado por visitar a página!

O grupo de Teatro Wankabuki surgiu na Universidade Federal de Rondônia, em agosto de 2003, começaram as reuniões aos sábados no auditório da Unir.O primeiro espetáculo montado pelo grupo foi Morte e Vida Severina uma adaptação do texto de João Cabral de Melo e Neto, feita por Luiz Antônio de Araújo.Em seguida, o grupo montou A Lenda da Ecologia texto do Prof. Oswaldo Gomes que estreou em 20 de julho de 2005. A peça participou do Festival de Teatro Coração de Rondônia, no município de Ji-paraná em agosto desse ano.Em 2006 são montados mais dois espetáculos: Vai, Carlos! Ser Gauche na vida que estréia em 07 de abril e Tragédia no lar apresentado pela primeira vez na escola Wilson Camargo para os alunos do período noturno. Os dois espetáculos são adaptações das poesias, respectivamente, de Carlos Drummond de Andrade e Castro Alves. Em 2009, estreia Perdidos na Floresta texto de Antero de Sales e o grupo inicia os trabalhos para se institucionalizar, em janeiro de 2010, o grupo de Teatro Wankabuki consegue seu registro, com a Razão social de ATEW - Associação de Teatro e Educação Wankabuki.







Quem sou eu

Minha foto
Lacunas que a vida não completa, são como obras esperando ser escritas, preenchidas...