Páginas

Seja Bem Vindo!

"A finalidade da arte é dar corpo à essência secreta das coisas, não é copiar sua aparência. (Aristóteles)






segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Agosto das Artes em Vilhena

Músicos Bira Lourenço e Catatau na Praça do Shopping     Foto: Nettu Regert
Agosto das artes, o município de Vilhena recheado de cinema, teatro, música e muita diversão.

Durante todo o mês de agosto ocorreram diversas atividades culturais no município de Vilhena, promovidas pelo SESC/RO. No início do mês, nos dias 10 e 11 ocorreram as apresentações do projeto Sonora Brasil que trouxe à Praça do Shopping dois grupos de música regional: O grupo Sons da Beira(RO) e o Grupo Samba Raízes de Tocos(BA). Na semana seguinte, iniciou-se a Mostra Pré-Silic de Cinema e Literatura que exibiu no auditório da Universidade Federal de Rondônia, durante três dias:18,19 e 20, quatro filmes : Palavra (En) cantada, um documentário sobre a relação poesia/música; Rio de Janeiro-Minas uma Ficção baseado em um episódio do livro Grande Sertão: Veredas de Guimarães Rosa, Mutum um filme de ficção construído através de um capítulo do livro Campo Geral de Guimarães Rosa; e Poesia, o drama de uma mulher que renasce após entrar em um curso de poesia, mas volta a chocar-se com as crueldades da vida.

Dholiman Balestrin e Valdete Sousa em O dragão de Macaparana     Foto: Nettu Regert 
Para finalizar a semana cultural, nos dias 22 e 23 ocorreram apresentações de Leituras Dramatizadas, resultados da Oficina do Projeto Leituras em Cena oferecida aos atores da cidade nos dias nos dias 05, 06 e 07 de agosto pela dramaturga Maira Jeannyse(RJ). Os textos apresentados nesse  ciclo de leituras foram de autoria de escritores rondonienses: no dia 22 foram lidos O Dragão de Macaparana, dramaturgia de Fabiano Barros com direção de Valdete Sousa e elenco: Bráz Dy Vinnuh, Elieldo Paes, Everton Barbosa, Dholiman Balestrin e Já passa das oito, dramaturgia de fabiano Barros e direção de Dholiman Balestrin e elenco: Evelys Destro, Kátia Gondin, Débora Azevedo. 

 Bráz Dy Vinnuh e Fernando Júnior em Memórias da Carne    Foto: Nettu Regert
No dia 23 a programação contou com três  textos, Em Pé de Guerra, dramaturgia de Bráz Dy Vinnuh e direção de Celso Gayoso e elenco: Geissy Reis e Dholiman Balestrin; Memórias da Carne, dramaturgia de Fabiano Barros e direção de Celso Gayoso e elenco: Bráz Dy Vinnuh e Fernando Júnior; e Magdala, dramaturgia de Francis Madson e direção de Dennis Weber e elenco: Gabriele Moraes, Jeferson Batista, Kharem Bridi, Keslley Júnior, Maycon Moura e Helen Cristina na operando luz e som em todas as leituras.

   Kharem Bridi e Maycon Moura em Magdala     Foto: Nettu Regert

Toda essa programação, proporcionou a união entre os atores da cidade que resolveram realizar uma mostra, no domingo(25), com o filme Evoé: Retrato de um Antropófago que trata da obra de Zé Celso Martinez e das ações do grupo de teatro Oficina. Após a exibição do filme ocorreu uma discussão sobre a a obra e as ações realizadas por grupo locais. A exibição contou com atores de três grupos de teatro diferente e ocorreu no espaço do Ponto de Cultura Cone Sul Plural.

Atores e diretores participantes da leitura em discussão ao final da atividade


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente as nossas postagens, participe do blog!

Obrigado por visitar a página!

O grupo de Teatro Wankabuki surgiu na Universidade Federal de Rondônia, em agosto de 2003, começaram as reuniões aos sábados no auditório da Unir.O primeiro espetáculo montado pelo grupo foi Morte e Vida Severina uma adaptação do texto de João Cabral de Melo e Neto, feita por Luiz Antônio de Araújo.Em seguida, o grupo montou A Lenda da Ecologia texto do Prof. Oswaldo Gomes que estreou em 20 de julho de 2005. A peça participou do Festival de Teatro Coração de Rondônia, no município de Ji-paraná em agosto desse ano.Em 2006 são montados mais dois espetáculos: Vai, Carlos! Ser Gauche na vida que estréia em 07 de abril e Tragédia no lar apresentado pela primeira vez na escola Wilson Camargo para os alunos do período noturno. Os dois espetáculos são adaptações das poesias, respectivamente, de Carlos Drummond de Andrade e Castro Alves. Em 2009, estreia Perdidos na Floresta texto de Antero de Sales e o grupo inicia os trabalhos para se institucionalizar, em janeiro de 2010, o grupo de Teatro Wankabuki consegue seu registro, com a Razão social de ATEW - Associação de Teatro e Educação Wankabuki.







Quem sou eu

Minha foto
Lacunas que a vida não completa, são como obras esperando ser escritas, preenchidas...