Páginas

Seja Bem Vindo!

"A finalidade da arte é dar corpo à essência secreta das coisas, não é copiar sua aparência. (Aristóteles)






domingo, 17 de dezembro de 2017

Festival de Teatro estudantil em Comodoro

Espetáculo Onde está Você ? premiado como Melhor espetáculo pelo Juri técnico 
                                Festival estudantil anima público de Comodoro-MT

                 O Grupo de Teatro Geração da Arte organiza a primeira edição do FEGERART – Festival Geração da Arte de Teatro em parceria com  E.E. Dona Rosa Frigger Piovezan em Comodoro-MT. A diretora do Grupo de Teatro Wankabuki, Valdete Sousa, recebeu convite para participar do Festival compondo o júri técnico, juntamente com Rosinete Querino(Pontes e Lacerda-MT) e Gislaine Mota (Comodoro-MT). O FEGERART acontece de 11 a 14 de dezembro, no Centro de Eventos da cidade, alunos da escola Dona Rosa Frigger Piovezan, após participarem de oficina oferecida pelo grupo Geração da Arte, criaram sete espetáculos que culminou no Festival.


Espetáculo Intoxicação
Fases da Lua recebeu prêmio de melhor texto
O Conflito de  Júlia prêmio de melhor espetáculo pelo Juri Popupar
Minha Revolução ganhou prêmio especial do Juri Técnico melhor cena
Colegial recebeu duas premiações no Festival
No dia 11, além da abertura oficial, acontece o primeiro espetáculo “Colegial” Grupo Insanos pela Arte, com alunas de idade entre 8 e 12 anos em cena, trazendo para o público a leveza do sonho de ser modelo em meio a temas polêmicos como preconceito e bullyng na escola. No dia 12, são três espetáculos na noite, “Intoxicação” Grupo Altazor, texto que partindo do mote da construção de uma nova sociedade trata de diversos temas discutidos na atualidade como homofobia, racismo, gordofobia e violência; “Fases da Lua” Grupo Pintando o Sete, peça que conta a história de Luana/Beatriz um garota com problemas na infância que desenvolve bulimia e como consequência se envolve com bebidas, drogas e muitos elementos do submundo; e “Onde está Você” Grupo Elementares, texto que traz questionamentos a respeito do que a sociedade está fazendo para diminuir a dor do outro, enquanto todo tipo de violência é trazido para a cena, fica a pergunta o que você está fazendo para diminuir a dor alheia, temas como suicídio e preconceito aparecem na peça.



A última noite de apresentações inicia-se com “Pane no Sistema” Grupo Utopia, o texto traduz o cotidiano da infância e adolescência atual, controlados por um jogador de videogame como robôs diante de uma tela, seguem cumprindo tarefas pré-programadas e mais uma vez aparecem temas que retratam a violência e o preconceito; “Minha revolução” Grupo Metáforas elenca temas relacionados ao cotidiano: violência contra mulher, homofobia; e “O conflito de Júlia”, segundo espetáculo apresentado pelo Grupo Insanos pela Arte, conta  história de Júlia, adolescente que começa a namorar e experimentar os conflitos próprios da idade, discussões com a família que culminam e um acidente de trânsito com graves sequelas.
Pane no sistema prêmio de Melhor maquiagem   



No dia 14, acontece a premiação com 14 categorias avaliadas nas três noites de Festival e, ainda, o Juri popular e uma premiação especial do Juri técnico. Ao final, “Onde está Você” ganhou o prêmio de melhor espetáculo pelo júri técnico e “O conflito de Júlia” prêmio de melhor espetáculo pelo júri popular. O belo trabalho realizado pelos alunos e professores da escola em conjunto com os integrantes do Geração da Arte fazem dessa primeira edição do Festival uma edição especial, pois todo o trabalho foi realizado voluntariamente, sem recursos, apenas com apoio de empresas e pessoas da comunidade que se dispuseram, muita esforço e carinho em cada detalhe.



Confira as fotos do festival clicando aqui

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Já Passa das Oito em Ji-Paraná


                   O grupo Wankabuki fecha o ano de 2017 com o espetáculo "Já passa das oito" em cena.

               Nos dias 08 e 09 de dezembro o Wankabuki apresentou-se na cidade de Ji-Paraná-RO, centro do estado de Rondônia. O teatro Dominguinhos recebeu "Ja Passa das Oito", espetáculo com texto de Fabiano Barros, direção de Valdete Sousa(Alda) que compõe, também, o elenco juntamente com Lu Rodrigues(Nalda), Tainá Sousa(Maria Louisa), Elieldo Paes(Valdinho), na iluminação Edmar Leite. Na produção do espetáculo Roberto Carlos do Grupo Encena(Ji-Paraná) uma parceria que poderá render muitas trocas e bons frutos.

   O público Jiparanaense elogiou muito o trabalho do grupo e conferimos boas risadas durante a peça.  Ideia de trocar produção e levar grupos de uma cidade para a outra facilita a circulação de espetáculos no interior do estado, sendo muito benéfico para os artistas de Rondônia.

        O ano de 2017 está se revelando um período de aprendizagem e avaliação da trajetória do Wankabuki que fará 15 anos em 2018. 



domingo, 15 de outubro de 2017

Wankabuki agita a semana da criança em Vilhena

O grupo Wankabuki realiza apresentações na semana da criança.

O mês de outubro começou animado para a galera do Wankabuki. A semana da criança iniciou-se no dia 11(Quarta-feira) com participação no evento realizado por policiais e bombeiros militares do 3° Batalhão da PM. A palhaça Jujubinha fez uma participação especial, levando alegria e descontração para as crianças da Escola Municipal de Ensino Infantil Santa Luzia.
                                                                         foto: Sandra Belli
Dia 13(Sexta-feira) o grupo apresenta na Escola Ângelo Mariano o espetáculo Perdidos Na Floresta, texto de Antero de Sales, com direção de Valdete Sousa que também compõe o elenco, juntamente, com Lu Rodrigues e Tainá Sousa; operando o som Shely Lisboa e na Fotografia Dennis Weber.
                                                                     Foto: Dennis Weber
No dia 14(sábado) o Wankabuki leva o espetáculo Perdidos na Floresta para a Casa Tai, a peça compõe uma série de eventos organizados no local durante a semana da criança, intitulado Outubro Kids. Além do espetáculo, a casa ofereceu diversas oficinas para crianças e atividades recreativas.
                                                                     Foto: Dennis Weber

Confira baixo algumas fotos das apresentações:

                                                                Foto: Dennis Weber

                                                                   Foto: Dennis Weber

                                                                  Foto: Dennis Weber

                          Foto: Dennis Weber

                                                                   Foto: Dennis Weber

                         Foto: Dennis Weber

                         Foto: Dennis Weber

                                                                    Foto: Dennis Weber

                     Foto: Dennis Weber

                                                        Foto: Dennis Weber

sábado, 19 de agosto de 2017

Grupo Wankabuki busca financiamento coletivo para realizar Festival

Rafael Barros, (Trans)formação, I Festival Amazônico

O Grupo de Teatro Wankabuki, sediado no município de Vilhena (RO), lançou através da plataforma catarse.me uma campanha de financiamento coletivo para a realização da 3ª edição do Festival Amazônico de Monólogos e Breves Cenas, previsto para acontecer em outubro de 2017. Para colaborar e conhecer mais sobre o projeto clique aqui


Valdete Sousa, presidente do Wankabuki, explica que a meta inicial da campanha é arrecadar o valor de R$ 10 mil a serem utilizados com despesas de confecção e veiculação de mídias, gastos com alimentação e hospedagem dos oficineiros, artistas e equipe de produção do evento. “O Festival é realizado anualmente, sempre por meio de editais (2015 - BASA; 2016-CAIXA ECONÔMICA). Em 2017, não fomos selecionados pelo edital que enviamos, ficando sem verbas para realização do evento. Nos dois anos de realização tivemos apresentações de artistas de vários locais, além dos grupos de Rondônia, passaram por aqui artistas de Manaus, Cuiabá e Primavera do Leste”, conta.


 A produtora cultural destaca que toda a programação do Festival sempre foi aberta e gratuita, oferecendo durante três dias arte, entretenimento, cultura e conhecimento, através de apresentações de peças teatrais, performances e intervenções urbanas, oficinas de teatrais com professores do Departamento de Artes da Universidade Federal de Rondônia abertas à comunidade, Seminário da Cena Amazônica com participação dos grupos e artistas, debates e mesas-redondas. “Somos uma Associação independente e não possuímos fontes de renda, porém não queremos deixar o projeto morrer, foi difícil tirar do papel, não podemos retroceder. Arte é necessária, não se pode construir uma sociedade sem arte, lazer e diversão”, diz Valdete.


Os interessados em ajudar também podem entrar em contato através dos seguintes números de telefone: (69) 98446-6408 e (69)98446-5839 ou pelo in box da páginaFacebook do Wankabuki. Compartilhe #ajudefestivalamazonico em suas redes sociais e colabore na divulgação e realização do Festival Amazônico de Monólogos e Breves Cenas.


Sobre o Festival Amazônico


O Festival Amazônico de Monólogos e Cenas Breves é um evento independente organizado pelo grupo de Teatro Wankabuki que teve sua primeira edição no ano de 2015. Não possui caráter competitivo e tem o objetivo de mostrar a produção artística brasileira, em especial a região Norte.


Na 1ª edição do Festival foram exibidos 11 espetáculos, realizadas 02 oficinas(Dramaturgia do ator e Confecção e manipulação de formas animadas), mesa-redonda com professores da rede pública de ensino e das universidades, alunos das universidades dos cursos de licenciatura nas quais se debateu a condição do Teatro na sala de aula e o 1º Seminário da Cena Amazônica (SECA), com discussão sobre o fazer teatral na Amazônia. 


Em 2016, durante a realização da 2ª edição do evento, foram exibidos 17 espetáculos e perfomances de artistas de várias cidades da região Norte e Mato Grosso. Além disso, foram ofertadas 04 oficinas teatrais(Mito drama: teatro ritual; O Performer: Ritualizador do Instante-Presente; Quem conta um conto... Biblioconto e Iniciação à Palhaçaria “Por Trás do Nariz”) e também a 2ª edição do Seminário da Cena Amazônica (SECA).


“O Festival acontece, normalmente, no início no mês de agosto, porém como não foi possível o patrocínio pra realização esse ano, mudamos para o mês de outubro/2017”, explica Valdete que complementa: “Estamos confiantes que todos irão ajudar! Ajude a salvar o nosso Festival! Festivais de teatro são essenciais para a compreensão do que é ser humano. Faça valer a pena, ajude a arte brasileira!”.


 Grupo Wankabuki


O Wankabuki é um grupo de teatro que está sediado em Vilhena-RO, no coração da amazônia legal, em um local estratégico, na divisa com o Mato Grosso. O Grupo existe desde 2004, surgiu na Universidade Federal de Rondônia e atualmente trabalha de forma independente. “A mediação cultural é parte importante do trabalho do Wankabuki, sendo o único grupo de teatro do Cone Sul de Rondônia em atividade, tendo colaborado ao longo dos anos para a mediação junto ao público local”, reforça Valdete. Conheça o grupo em http://grupodeteatrowankabuki.blogspot.com.br/.


terça-feira, 1 de agosto de 2017

Teatro Wankabuki oferece Oficina de teatro: "A cena Além dos Muros"

Tainá Sousa, breve cena Kufunzaka II FAMBC 

Inscrição aberta para nova oficina do Grupo Wankabuki

A oficina de teatro: "A Cena Além dos Muros" é parte do trabalho de estudos sobre a cena e processos de dramaturgia. O teatro Wankabuki oferece, de forma gratuita, oficinas abertas a comunidade, no ano de 2017 será a segunda oficina oferecida em Vilhena. A investigação sobre a dramaturgia e os processos que cada ator desenvolve no decorrer de sua criação, se dará nessa edição em três encontros, somando 12h.

A oficina pretende delinear um percurso em que o participante se reconheça através de experimentos corporais, leituras e vivências obtidos de materiais publicados ou relatos de pessoas que passaram por processos envolvendo violência. A partir dessas oficina desenvolve-se um trabalho conjunto entre os atores do Wankabuki e os participantes. 

O grupo oferece  25 vagas para a oficina que ocorre nos dias 01, 02, e 03 de Setembro/2017: sexta-feira das 19h às 22h, sábado e domingo das 15h às 19h. Podem se inscrever pessoas com idade acima de 16 anos, preenchendo o formulário on-line clicando aqui. A oficina será gratuita, sendo cobrada apenas uma taxa de inscrição de R$ 20,00 que o inscrito deverá pagar no primeiro dia de aula, para custear materiais a serem utilizados na oficina.

Ao preencher o formulário o aluno deverá fornecer corretamente os dados de contatos telefônico e e-mail, pois é através desses meios que serão divulgadas outras informações sobre as aulas. O formulário de inscrição estará disponível on-line até o dia 31 de agosto ou enquanto houver vagas.

Teatro Wankabuki apresenta Perdidos na Floresta em Vilhena

Perdidos na Floresta, teatro Dominguinhos(Ji-Paraná) Palco Giratório-2016


O município de Vilhena recebe no mês de julho o maior evento gastronômico e cultural a região, o 1ª Festival Gastronômico e Cultural de Vilhena com programação a partir de 10 de julho. Realizado pelo Sicoob Credisul o evento reúne o melhor da culinária local e atividades artísticas, tais como exposições de artes plásticas o espaço Marechal Rondon, Cine Solarium, shows musicais com artistas de Vilhena, palestras e aulas shows envolvendo culinária. 

O grupo Wankabuki realiza o fechamento das atividades artística do Festival, com o espetáculo Perdidos na Floresta, espetáculo de classificação livre que percorreu diversos projetos desde sua estreia em 2009, circulou o SESC Itinerante, Aldeia Guaporé - SESC RO, Palco Giratório SESC-RO, além de escolas do município de Vilhena.  A apresentação acontece na Sala Expansão - CTC Sicoob Credisul, nos dias 05 e 06 de agosto, ás 19h30min. Os ingressos podem ser adquiridos na banca do Zóio, no bistrô Paladar ou com o elenco do grupo, contato: 98446-6408.
  

Serviço
Perdidos na Floresta, texto Antero de Sales, direção Valdete Sousa, elenco Lu Rodrigues, tainá Sousa e Valdete Sousa, Operador de Luz Rafael Reis, Operador de som Shely Lisboa.
Dias 05(sábado) e 06(domingo) de agosto.
Às 19h30min, na Sala Expansão - CTC Sicoob Credisul - Av. Capitão castro, 3112 - Centro Vilhena/RO
Contribuição R$ 20,00(inteira) R$10,00 (meia para estudantes, policiais, bombeiros e professores que apresentarem carteira de comprovação)

     

quarta-feira, 26 de abril de 2017

NÚCLEO DE LEITURA DRAMATIZADA

O grupo de Teatro Wankabuki retoma, no mês de maio, o Núcleo de Leitura Dramatizada, projeto iniciado através das oficinas do Dramaturgia leituras em Cena do SESC-RO que são oferecidas em Vilhena desde 2012. A ação consiste em ler e discutir textos teatrais que compõe o banco de dados que o grupo possui. O participante deve levar para a reunião equipamento tais como celular, tablet, ou notebook, pois as obras do banco de dados são virtuais.    
Para participar do Núcleo os interessados devem preencher o formulário de cadastro clicando aqui e comparecer nas reuniões que acontecem aos sábados, ás 15h, na Biblioteca Municipal Monteiro Lobato. 

Obrigado por visitar a página!

O grupo de Teatro Wankabuki surgiu na Universidade Federal de Rondônia, em agosto de 2003, começaram as reuniões aos sábados no auditório da Unir.O primeiro espetáculo montado pelo grupo foi Morte e Vida Severina uma adaptação do texto de João Cabral de Melo e Neto, feita por Luiz Antônio de Araújo.Em seguida, o grupo montou A Lenda da Ecologia texto do Prof. Oswaldo Gomes que estreou em 20 de julho de 2005. A peça participou do Festival de Teatro Coração de Rondônia, no município de Ji-paraná em agosto desse ano.Em 2006 são montados mais dois espetáculos: Vai, Carlos! Ser Gauche na vida que estréia em 07 de abril e Tragédia no lar apresentado pela primeira vez na escola Wilson Camargo para os alunos do período noturno. Os dois espetáculos são adaptações das poesias, respectivamente, de Carlos Drummond de Andrade e Castro Alves. Em 2009, estreia Perdidos na Floresta texto de Antero de Sales e o grupo inicia os trabalhos para se institucionalizar, em janeiro de 2010, o grupo de Teatro Wankabuki consegue seu registro, com a Razão social de ATEW - Associação de Teatro e Educação Wankabuki.







Quem sou eu

Minha foto
Lacunas que a vida não completa, são como obras esperando ser escritas, preenchidas...